1

O que o Baby George tem de parecido com os nossos filhos?

Hoje eu ía postar um texto bem sério sobre como foi a minha péssima experiência da última quinta-feira quando fui assalta. Mil reflexões, desabafos e reclamações inflamadas. Mas, daí gente que eu vi isso aqui e mudei de ideia sem nem pestanejar.

É um gif postado em uma página que está fazendo sucesso nas redes sociais, a Baby George te despreza. Já viram?

Bem, eu decidi postar porque me identifiquei na cena da família real (temos sangue azul lá em casa cof cof cof kkkkkkkk). Brincadeiras a parte, eu identifiquei uma família comum com problemas materno/infantil bem parecidos com os nossos.

Observe bem a cena. O pai (príncipe William) balança o filho que já aparenta estar impaciente.Sabe aquela balançada de quando você não tem outra outra escolha e precisa ficar onde está, mas o bebê já dá os primeiros sinais de impaciência e você balança para ver se ele se distrai?!

Então, príncipe William tá lá dando essa balançada na cria enquanto a mãe (Kate Middleton) toda lady/simpática/educada tenta prestar atenção no senhor que fala com eles. É claro que ela não está ouvindo nada. Ela está tensa igualzinha a você quando abana a cabeça em sinal de positivo enquanto pensa “Ele nunca vai parar de falar? O George (substitua pelo nome do seu filho(a)) já está cansado e vai começar a chorar em segundos”.

Buscando “desesperada” por uma saída perante o choro iminente ela lembra do ursinho que está em suas mãos e dá ao George pensando “Ah, ele vai se entreter com o brinquedo enquanto a gente termina isso aqui”. Ela o entrega e o pequeno George faz o que???? O mesmo que os nossos filhos: ele atira o brinquedo no chão daquele jeito malcriado que nos enche de vergonha. HAHAHAHAHAHAHA…

Enfim, filhos! Os da realeza ou os nossos…todos precisam ser educados. Ainda bem.

Anúncios
0

Quanto tempo leva até ele fazer 18 anos mesmo?!

Eu não sei vocês, mas eu tenho me admiro com a rapidez do tempo.

Deixando de lado a ‘filosofia barata’ , da qual eu sou praticante, andei revendo umas fotos e vídeos do Pedro da época do hospital e também de quando eu ainda estava de licença maternidade.  Ai gente…quanto amor em imagens!! Fiquei surpresa em ver que eu já tive um filho recém nascido todo molinho e com aquele cheirinho inconfundível de bebê, que fazia caretas e barulhinhos de neném novinho. Oiiinnnn!!!

O Pedro tem um ano e meio e eu já sinto falta dele bebê. Imagina na Copa kkkkkk…Brincadeiras a parte: é só comigo ou outras mães/tias/avós também sofrem dessa nostalgia precoce? Porque gente, do jeito que vai mês que vem ele deve pedir a chave do carro para o pai! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Fato é que eu me surpreendi com as fotos e vídeos dele no hospital e de como ele era pequeno e frágil e hoje é um menino serelepe e curioso. Arrumando as coisinhas dele que guardo como lembrança encontrei as roupinhas de prematuro. Olhei, e mesmo tendo vivido tudo aquilo, me peguei pensando “ele usava essas roupinhas e algumas ainda ficavam folgadas”.

Aqui no blog eu já escrevi (aqui) sobre as medidas do Pedro ao nascer, de como ele é o meu milagre, a maior e mais linda prova do amor de Deus por mim. Mas, como achei as roupinhas queria mostrar para vocês que não puderam conhecê-lo quando ele ainda era bem ‘pitico’ por conta da restrição às visitas.

Olhem só essas coisinhas…Ah, eu coloquei alguns objetos próximo das roupas para vocês conseguirem ter uma ideia de tamanho. Detalhes nas legendas.

 

body_dvd

Esse foi o primeiro body dele. Detalhe: um pouquinho maior que a capinha de um DVD.

 

macacao

Essa foi a primeira roupinha que ele vestiu na vida. Uns três dedos maior que um espetinho de churrasco!

 

SAMSUNG

Olha aqui a prova de que a roupa micro ficava grande! Punhos dobrados para as mãozinhas aparecerem. Fotografei para registrar a primeira vez que ele vestiu roupa na vida. Ele já tinha mais de dois meses de nascido.

 

Meinhas! Acredita que ficava largo?! As enfermeiras diminuíam a largura das meias com esparadrapo para as elas não ficarem escapando toda hora.

Meinhas! Acredita que ficavam largas?! As enfermeiras diminuíam a largura das meias com esparadrapo para elas não ficarem escapando toda hora.

 

E por fim uma nossa <3

❤ E por fim uma nossa ❤

0

Nova categoria: “Pareço boa mãe, mas…”

Olá leitores,

Decidi criar uma nova categoria no blog. Vejam bem…logo eu que ando tão sumida! Mas, sabe o que é…já era uma ideia antiga criar um espaço para falar do lado não tão cor de rosa da maternidade. Porque sim! Nem todos os dias as mães acordam pacientes, bem humoradas, criativas e fofas. Existem outros blogs e perfis no Face que usam esse “tema”. Mas, cá para nós…a frase ficou tão conhecida na Internet que virou “hit materno”.

‘Simbora’? Vamos começar de uma vez?! Tenho certeza que muitas mães vão se identificar! kkkk

“Pareço boa mãe…mas, torço para a soneca da tarde durar duas horas!”

O dia amanheceu nublado ele não queria acordar! Ah, se eu pudesse ficava assim também. Fofo!

O dia amanheceu nublado e ele não queria acordar! Ah, se eu pudesse ficava assim também. Fofo!