Os ciclos

Alguém alguma vez me disse que a vida é feita de ciclos! Nessa filosofia estaríamos sempre começando e encerrando etapas, nos aproximando e afastando de pessoas, chegando e deixando algum lugar, emprego,  cidade…num ciclo contínuo e infindável.

Na época achei a expressão bem didática e prática para explicar aqueles momentos de transição, mudança e transformação. Pensando um pouco acho que até poderíamos definir esses ciclos em : curtos, médios e longos. E talvez em easy (fácil) , medium (médio) e hard (difícil)! Quem sabe também em: superado, “marrô menos” e “carregarei pra vida toda”. rsrsrs

Brincadeiras a parte…há dois meses e uns quebrados encerrei um ciclo de 5 anos de trabalho no mesmo lugar. Tive que deixar amigos queridos para trás e junto com eles muitas lembranças e aprendizados. Vivi grandes momentos naquele lugar.  Cheguei ainda menina estudante e saí de lá mãe e profissional pós-graduada. Por sorte, sempre achei boas pessoas em meu caminho e confirmei a velha máxima de que colhemos aquilo que plantamos. Boas sementes resultam em ótima colheita! E eu lhes digo que colhi frutos primorosos.

Foi doído dar as costas no último dia. Eu chorei…é verdade! E quando voltei poucos dias depois para buscar alguns pertences me senti estranha naquele saguão enorme de entrada. Já não fazia mais parte dali. Dessa emoção surpresa, entendi que, de fato, aquela porta havia se fechado muito antes do final oficial. Eu só não tinha percebido. Engraçado analisar agora quando tudo já está diferente. Mas, a verdade é que eu já tinha encerrado aquele ciclo.

Por um mês e meio fiquei com o Pedro em casa. Dona de casa full time! Na primeira semana eu ainda me senti frustrada, deslocada, sem grande função. Mas, dia após dia, o Pedro e minhas novas funções me fizeram ver o quanto Deus é perfeito. Ele faz tudo certo. No tempo certo. Pendências de meses se resolveram. Muita coisa deslanchou e situações sobre as quais eu pensava o pior simplesmente foram brandas, controladas. Nada de bicho de 7 cabeças.

Já embalada por essa maré quase totalmente boa, e inundada pelo sentimento de gratidão, aprendi muito comigo mesma e descobri uma Beatriz diferente daquela que há um ano fazia o balancete de final de ano. Gostei do que vi e senti aquela leveza de saber que, embora nem tudo tenha sido realizado, tudo foi modificado!

Foi ótimo ficar com o Pedro e participar da rotina dele como eu não fazia desde a licença maternidade. Certamente fiquei ainda mais orgulhosa e babona. Me senti completamente grata por ser mãe dele, por ter a oportunidade de vê-lo crescendo, por ver que todo meu esforço (e cansaço) se justificam no amor que eu sinto por ele.

E nos 45 minutos do segundo tempo o meu final de 2014 mudou totalmente e eu voltei a trabalhar! Surpresas…devemos estar preparadas para elas.

Ufaaa…estava devendo uma passada por aqui. Há dias estou tentando postar, porém não quis publicar outros textos sem antes contar sobre as mudanças e o motivo do longo sumiço. Estava colocando as bagagens no lugar, acertando as velas do barco e me aconchegando no melhor lugar para curtir o que de melhor essa nova viagem me trouxer!

20141130_083406

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s