0

Pedro, o gripado X Beatriz, a mulher que levanta mil e uma vezes durante a noite

S-o-n-o.

Tô com sono. Só quem já viveu a delícia (só que não) de ter um baby doente em casa sabe como as noites podem ser aterrorizadoras.  Cena de filme de terror/suspense em que a personagem vaga pela casa com cara de terror olhando para os cantos e sombras dos cômodos. rsrsrsrs

Infelizmente a primeira gripe do Pedro chegou. Até outro dia estava festejando internamente por ele nunca ter ficado doentinho até aqui (1 ano e quase um mês), massss domingo ele acordou com o nariz escorrendo e espirrando. Passou bem o dia até que a monstruosa chegou: a noite.

Bem que meus pais diziam (e eu achava chato) que a noite o estado geral do doente piora.  A explicação médica/lógica/teórica/ eu acho que nem existe, mas você já observou como a noite é sempre o momento em que a febre volta/sobe ou a privada vira trono/travesseiro ou o sistema respiratório acendo o GAME OVER?! Pelo menos comigo sempre foi assim. Me identifico completamente com aquele comercial do Naldecon com as ovelhas. Você já viu? Dá uma olhada.

Bem, daí a genética existe né e o Pedro “decidiu” que a noite ele também piora. Começou a fazer febrinha, ficou manhosinho, ficou chatinho, ficou insuportavelzinho. Tudo “inho” para amenizar a situação. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Jantou pouco, tomou pouco suco, mas mamou bem o Tetê. Aliás, ele só queria fica mamando, tadinho. Isso me deu dó. Lembrei de mim mesma quando estou com a garganta ruim e fico bebendo líquido para aliviar o desconforto. Fora isso: nariz vermelho e olhar caidinho.

……………………………………………………………………………………………………………..

(pausa para eu contar uma incoerência materna. Eu já falei por aqui que uma das coisas boas de ser mãe/pai é poder tirar “sarro” do filho, rir deles, das situações engraçadas que eles passam. Olha esse vídeo. É a mistura da mais pura sacanagem da mãe e da fofurice dos filhos. Enfim, tudo isso para dizer que a carinha do Pedro gripado é fofinha. Pronto. Me digam que sou malvada! kkkkkkk)

…………………………………………………………………………………………………………….

A noite chegou e ele começou a ficar quente. Termômetro me disse que ele estava apenas febril. Mas, meu coração de mãe disse “Liga para o pediatra. Vai que durante a madrugada piora”.  Mediquei e lá pelas 11 e tanto da noite ele adormeceu por três horas seguidas.

Foi um alívio vê-lo tranquilo e dormindo pesado…fora que o meu braço já estava doendo de ficar direto com ele no colo. Mas, sabe como é mãe né?! Você levanta mil e uma vezes durante a madrugada para se certificar que a febre não voltou, para verificar se o nariz está entupido dificultando a respiração e porque sim ele chorou várias vezes e só acalmava vindo para o colo.

Fiquei acabada no dia seguinte. Olheiras tipo panda e sono tipo Mr Bean (assistam)

Ps: Esse texto começou a ser escrito na segunda-feira (11/11). O Pedro já está ótimo, graças a Deus. Quanto a mim…continuo como Mr. Bean. Afinal, mãe não tem o direito de dormir. Hahahaha…rindo de mim mesma. Não, mentira. É de nervoso.

Anúncios
0

Minha mãe já dizia e eu achava chato 2

Minha mãe (e pai) dizia que de um dia para o outro os filhos crescem. Eu ficava pensando “Aiii de um dia para o outro nada. Anos e mais anos. Já não sou criança há tanto tempo e bla bla bla”. Sempre naquele tom audacioso de piveta infantil egoísta que acha que entende muito da vida e que na verdade não sabe nada. Mas, tudo bem. A vida ensina (e em alguns momentos te coloca pra ajoelhar no milho kkkkkkk).

A cada dia percebo menos de bebê no Pedro e mais de criança. Por conta da prematuridade todo o desenvolvimento dele tem sido mais lento se comparado com uma criança nascida no tempo normal (38-40 semanas de gestação). Porém, devagarzinho (ou nem tanto assim) ele tem mostrado que em pouco tempo não teremos mais um bebê em casa. Mas, um menino. Um sapeca. Um curioso ligado no 220v!

Nas últimas duas semanas essa transformação chamou mais minha atenção. Comecei a perceber que enquanto mama ele não cabe mais confortavelmente no colo. Suas pernas ficam pra fora do colo e se estou na poltrona os pezinhos ficam empurrando o braço dela. Tá comprido meu menino. Escuto isso dos outros e faço as contas que me apontam um crescimento de 34 cm desde o nascimento. Caramba…mais que uma régua em um ano. Simulei com as mãos menos 30 e poucos centímetros em cima do corpinho dele e “Meu Deus como ele nasceu pequeno”. Ainda me surpreendo…incrível! rs

Outro indício é que o dentinho despontou. No fim da semana passada era só um pontinho branco perceptível só pra mim com olhar biônico de mãe. Entretanto, ontem de manhã ele abriu o sorriso habitual de quando vou pegá-lo no berço e tcharan: temos um dentão. Agora está lá para quem quiser ver. Uma semaninha só…

Pedro também começou a reclamar com sílabas. Fica bravo e diz “dá-dá-dá-dá” com entonação de “não estou gostando nadinha disso”. Não me seguro e rio da carinha dele, da sobrancelha franzida, da audácia de reclamar ainda tão novinho.

Ele também aprendeu a comer o biscoito de polvilho inteiro. Antes o finalzinho ficava preso dentro da mãozinha, ele choramingava e nós tínhamos que terminar de dar o biscoito para ele. Até que um belo dia dei o biscoito e fui terminar de lavar a louça. Quando olhei de volta percebi que não tinha nenhum pedacinho caído no cadeirão, nem embaixo dele, nem entre as perninhas. “Ué, você comeu tudo filho?”. Fiquei naquela dúvida. Dei outro e observei. Pois é…Pedro aprendeu a abrir a mão e enfiar o restinho na boca. Assim, de um dia para o outro. Orgulho!

A prova mais linda (será?) de que tenho um moço em casa é que agora quando está de barriga para baixo começou a enfiar a carinha no colchão/tapete, dobrar a perninha, levantar o bumbum e se arrastar pra frente. Siiimmmmm….um treino para engatinhar! É muito amor para o meu coração, gente.

Ah, e como pude esquecer: Pedro bate palma agora. Faz até barulho. Clap Clap clap várias vezes por dia, hora, meia hora. E eu que não sou boba passo o dia cantando “parabéns pra você, nesta data querida…”. kkkkkkkkkkk

Daí que…outro dia nasceu o Pedro e agora ele vai fazer um ano. “Mar géntem” o que foi que aconteceu que ele cresceu de um dia para o outro? Taí…minha mãe bem que dizia e eu achava chato! Kkkkkkkkkkk