0

Andou!

Eu pensei que quando o dia chegasse eu teria um livro para falar. Mas, eu só quero contar para vocês que ele ANDOU! ANDOUUUUUU.

24 de setembro de 2015. Aos 2 anos 11 meses e 10 dias, Pedro deu seus primeiros passos sem auxílio. Eu filmei, eu festejei, eu gritei, eu chorei e agradeci. Agradeci muito.

Primeiro agradeci à Deus por mais uma prova de amor e por sua infinita sabedoria. Depois fechei os olhos que estavam gordos de lágrimas e me joguei no sofá. Um misto de alegria e perplexidade me deixaram sem palavras.

Depois abri os olhos e fiquei olhando aquela carinha que é tão amada por mim e que continuou a brincar no ipad como se o seu ato tivesse sido corriqueiro. Aquele rostinho redondo, de boquinha bem-feita e cílios compridos ficou brincando enquanto eu sentia a serenidade e a alegria que só a gratidão nos proporciona.

E como se não bastasse a gratidão, eu senti orgulho. Orgulho por ter a oportunidade de conviver com o Pedro: um ser tão iluminado e persistente que, desde os primeiros momentos de vida, me surpreende e me ensina sobre amor, esperança, resiliência e doação. Orgulho dele. Orgulho da nossa parceria de vida.

Obrigada, Pedro! E parabéns, filho. O mundo é grande e lindo e você tem muito para andar.

0

Pedro aos 19 meses

Outro dia eu comentava com uma amiga que está nos EUA cuidando de gêmeos (uma menina e um menino) o quanto essas crianças crescem rápido. Eu só falo isso? Sei que costumo falar disso aqui no blog com bastante frequência, mas gente: é a mais pura verdade. Um dia estão na sua barriga, no outro já estão andando por aí e abanando a cabeça em sinal negativo quando você pede para eles fazerem alguma coisa. Ai ai ai…ele nem fala e já me diz que não! #medodaadolescencia

Semana passada eu escrevi sobre o início do falatório lá em casa. Daquele dia até hoje não tivemos novidades no vocabulário. Em compensação nas gracinhas…

Hoje pela manhã fizemos todo o ritual de troca fralda, põe soro no nariz, escova o dente, lava o rosto e penteia o cabelo. Daí nesse momento eu lembrei do meu afilhado, na época com uns 11 meses mais ou menos, sentado no trocador e penteando o cabelo (do modo dele, claro). Eu, que ando empenhada em dar mais autonomia ao Pedro, coloquei a escovinha na mão dele e levei o bracinho até a cabeça fazendo o movimento de pentear. “Isso, filho. Penteia o cabelo”. Repeti a ação mais duas vezes. Na terceira vez deixei por conta dele. “Filho, penteia o cabelo”. E ele fez sozinho!!!! Ahhhhhh….o orgulho materno é algo lindo de sentir!

Depois fiz ele repetir para o pai mais três vezes…é claro! Afinal, a gente ensina e depois quer mostrar para todo mundo. #tadinho #maenaoenche kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Desde a semana passada Pedro também começou a dar tchau e a esfregar a barriguinha quando dizemos “Pedro, como lava a barriga?”.

No domingo enquanto estávamos na sala ele resmungava bravo no chão porque não conseguia abrir o livro sozinho. O pai, sentado no sofá, disse “Traz aqui, filho. Papai ajuda você”. Mais do que depressa Pedro começou a se arrastar e a arrastar o livro em direção ao sofá até chegar ao alcance do pai que repetiu o movimento de abrir e fechar o livro para o Pequeno.

Fofo…muito fofo. Mas, é mais que isso. É perceber que ele entende perfeitamente o que dizemos a ele. É ver que a cognição está funcionando muito bem…questão que nos preocupou por um tempo quando ainda éramos assombrados pelas possíveis sequelas da prematuridade extrema.

Agora dei por mim que algumas pessoas devem estar lendo e me achando boba por estar tão encantada com essas atitudes do meu filho. Mas, estou. Estou cada dia mais, aliás. Se tem uma coisa que vale a pena em ter filho é ver o crescimento dele, seus aprendizados, suas descobertas, as carinhas de surpresa e de “uuuaauuuu que incrível isso aqui”. Nesses quase 30 anos, poucas coisas e pessoas me emocionaram como (ou mais) do que ver essas pequenas conquistas do Pedro.

É maravilhoso acompanhar esse crescimento, o desenvolvimento dele de bebê para criança. As vezes fico um tempão observando ele brincar e me divirto vendo como ele resolve “os problemas” práticos. Engraçado perceber o quão complexos são esses aprendizados básicos como andar, levar o talher a boca, empilhar, encaixar, saber onde é a barriga, entender o que é pentear o cabelo…

É demais perceber o quanto eles aprendem e como aprendem rápido. Eu repito o movimento três, quatro vezes e lá está o Pedro imitando. Ele está uma verdadeira máquina de imitação. Uma graça. Um mocinho que agora aponta aquele mini dedo indicador para mostrar o que quer e que faz tchau balançando o braço todo. Como eu disse, um fofo esse meu filho! kkkkkkkkkkkk

#maebabona #maecoruja

motoca3