0

Minha mãe já dizia e eu achava chato 2

Minha mãe (e pai) dizia que de um dia para o outro os filhos crescem. Eu ficava pensando “Aiii de um dia para o outro nada. Anos e mais anos. Já não sou criança há tanto tempo e bla bla bla”. Sempre naquele tom audacioso de piveta infantil egoísta que acha que entende muito da vida e que na verdade não sabe nada. Mas, tudo bem. A vida ensina (e em alguns momentos te coloca pra ajoelhar no milho kkkkkkk).

A cada dia percebo menos de bebê no Pedro e mais de criança. Por conta da prematuridade todo o desenvolvimento dele tem sido mais lento se comparado com uma criança nascida no tempo normal (38-40 semanas de gestação). Porém, devagarzinho (ou nem tanto assim) ele tem mostrado que em pouco tempo não teremos mais um bebê em casa. Mas, um menino. Um sapeca. Um curioso ligado no 220v!

Nas últimas duas semanas essa transformação chamou mais minha atenção. Comecei a perceber que enquanto mama ele não cabe mais confortavelmente no colo. Suas pernas ficam pra fora do colo e se estou na poltrona os pezinhos ficam empurrando o braço dela. Tá comprido meu menino. Escuto isso dos outros e faço as contas que me apontam um crescimento de 34 cm desde o nascimento. Caramba…mais que uma régua em um ano. Simulei com as mãos menos 30 e poucos centímetros em cima do corpinho dele e “Meu Deus como ele nasceu pequeno”. Ainda me surpreendo…incrível! rs

Outro indício é que o dentinho despontou. No fim da semana passada era só um pontinho branco perceptível só pra mim com olhar biônico de mãe. Entretanto, ontem de manhã ele abriu o sorriso habitual de quando vou pegá-lo no berço e tcharan: temos um dentão. Agora está lá para quem quiser ver. Uma semaninha só…

Pedro também começou a reclamar com sílabas. Fica bravo e diz “dá-dá-dá-dá” com entonação de “não estou gostando nadinha disso”. Não me seguro e rio da carinha dele, da sobrancelha franzida, da audácia de reclamar ainda tão novinho.

Ele também aprendeu a comer o biscoito de polvilho inteiro. Antes o finalzinho ficava preso dentro da mãozinha, ele choramingava e nós tínhamos que terminar de dar o biscoito para ele. Até que um belo dia dei o biscoito e fui terminar de lavar a louça. Quando olhei de volta percebi que não tinha nenhum pedacinho caído no cadeirão, nem embaixo dele, nem entre as perninhas. “Ué, você comeu tudo filho?”. Fiquei naquela dúvida. Dei outro e observei. Pois é…Pedro aprendeu a abrir a mão e enfiar o restinho na boca. Assim, de um dia para o outro. Orgulho!

A prova mais linda (será?) de que tenho um moço em casa é que agora quando está de barriga para baixo começou a enfiar a carinha no colchão/tapete, dobrar a perninha, levantar o bumbum e se arrastar pra frente. Siiimmmmm….um treino para engatinhar! É muito amor para o meu coração, gente.

Ah, e como pude esquecer: Pedro bate palma agora. Faz até barulho. Clap Clap clap várias vezes por dia, hora, meia hora. E eu que não sou boba passo o dia cantando “parabéns pra você, nesta data querida…”. kkkkkkkkkkk

Daí que…outro dia nasceu o Pedro e agora ele vai fazer um ano. “Mar géntem” o que foi que aconteceu que ele cresceu de um dia para o outro? Taí…minha mãe bem que dizia e eu achava chato! Kkkkkkkkkkk

Anúncios
0

Dentinho

E o dia tão esperado chegou. Pedro as vésperas de completar 11 meses ganhou um dente. Ainda está tímido, uma pontinha branca na gengivinha inchada e vermelha. Mas, sim: temos um dente!

Acho que toda mãe tem dentro da cabeça maluca bagunçada cansada fases marcantes do bebê. Ficamos imaginando como será, quem estará conosco, como vamos agir e tudo mais. No meu caso um dos momentos que sempre rondou meus pensamentos de mãe era o nascimento do primeiro dente. Depois o nascimento do segundo, e por fim os dois de cima que configuram nosso bebê como um coelhinho! Rsrs

O fato é que no domingo o Pedro acordou com um dentinho embaixo, do lado direito. Ah, gente eu olhei para ele e como sempre ele abriu aquele sorriso banguela…não! Wait! Um pontinho banco! Eu vi ou será uma ilusão?? Sim, tinha um pontinho banco naquela gengiva inchada e vermelhinha. Liguei pro marido para contar a novidade, mandei algumas mensagens de texto e comemorei com o Pedro.

Por que tanta emoção? Meus olhos marejaram, mas juro que me contive e não derrubei nenhuma lágrima porque estou tentando parar com essa coisa melosa de chorar até com comercial de margarina.

Um moço. Meu filho está ficando um moço!

Ps: teremos que esperar o dentinho virar dentão para termos o registro em foto. Por enquanto, só o olho clínico de mãe consegue vislumbrar! rsrsrs