0

770 gramas

Acreditem, ele nasceu com esse peso. Mais leve que um saco de açúcar, sal, feijão.

Devido aos cuidados especiais que precisou ao nascer não tivemos aquele primeiro encontro que toda mamãe e bebê tem direito. Não pude vê-lo ou pegar no colo. Só pude ouvir. Mas, sabe, diante da grave realidade na qual estávamos eu já me senti grata a Deus por ouvir o chorinho.

Quando me contaram que ele pesava apenas 770 gramas e media 29,5 cm eu me lembro de pensar que isso era muito pouco. Mas, eu só fui saber o que significava o “pouco” quando eu o vi. Então, pude entender a classificação do prontuário “bebê de muito baixo peso”. Ênfase para o muito.

As perninhas e braços eram só pele e osso. De tão leve que era não havia músculo. Aliás, o músculo do diafragma não tinha força para se mover sozinho, expandir o tórax, e assim propiciar a respiração. Isso, além da imaturidade cognitiva, foi uma das razões para a entubação de 40 dias.

Ai, como foi difícil. Nenhuma mãe (em sã consciência) sonha com o filho tão amado e desejado com aquela aparência. Não, eu não estava preocupada com a beleza do Pedro. Mas, a aparência dele escancarava para mim (e para todos que ficaram ao nosso lado) o quanto a vida dele era frágil.

Doeu. Doeu muito vê-lo crescer fora da minha barriga. A culpa, que acompanha toda mãe de prematuro, também me oprimiu por muito tempo. Era terrível olhá-lo sem poder fazer nada. Me cabia esperar, orar, pedir a Deus que deixasse o Pedro aqui. Eu me sentia responsável pela situação, e questionava os desígnios Dele, todos os dias em que permanecemos no hospital.

Os pensamentos foram mudando a medida que as explicações médicas foram me liberando da culpa. Foi essencial o apoio da minha família e dos amigos. Pois, havia dias em que eu não conseguia…vi-ver. Os 770 gramas pesavam como 770 quilos.

Por dias me carregaram para cima e para baixo, me fizeram comer, me puseram na cama, me obrigaram a sair um pouco de dentro da UTI e, principalmente, não me deixaram perder a esperança. A cada 30 gramas que o Pedro engordava (essa é a média que ganha um bebê por dia) eu fazia festa! Era motivo para ligar e mandar SMSs para os mais próximos.

Depois de um mês o Pedro completou ao primeiro QUILO (tem dia que o bebê ganha menos de 30g) e as bochechas começaram a crescer e a fazer sucesso com todo mundo da UTI. O Pedro foi um autêntico mini prematuro magrelinho bochechudo!

 Lindo!