2

Sempre foi assim ou a cada ano a exploração é maior? – Da série: escolinha, escola, escolão


Eu sempre fui uma pessoa muito responsável com dinheiro. Adoro comprar, mas costumo pesquisar antes de pagar. Além de pechinchar e esperar a época das liquidações, promoções, troca de coleção. Assim, sempre compro coisas legais e boas por preços mais justos. Sendo assim, há tempos eu não me via comprando alguma coisa com um valor acima, ou muito acima, do que o esperado…planejado.

E então chegou essa nova fase de filho em fase escolar: lista de material, material didático, uniforme, mochila, lancheira, estojo…São tantas coisas que você precisa mandar para escolinha quando o aluno ainda é uma criança! Troca de roupa, toalha, fralda, lencinho umedecido, pomada, lancheira…

Está tudo muito caro. Alguns preços chegam a ser tão exorbitantes que eu fico chocada. Fiz uma longa pesquisa na internet e em algumas lojas físicas de shopping e de rua e as lancheiras estão custando, em média, R$ 100. CEM!!!! Sendo que vi mais de um modelo de mochila (simples) de adulto da Nike ou Addidas por R$ 90.

As mochilas infantis de personagem seguem totalmente regra do que está na moda. Quanto mais em destaque, mais caro! Sério….vi mochilas por R$ 289!!! Não sei vocês, mas eu acho tão fora da realidade!

Pesquisei. Pechinchei. Escolhi um kit (mochila, lancheira e estojo) a um preço justo. Ou seja, menos de R$ 200. Sempre foi assim ou a cada ano a exploração é maior? Sou mãe de primeira viagem. Me contem como é por aí!

mochila

0

Brinquedos educativos e materiais recicláveis

Já comentei algumas vezes aqui no blog que o Pedro tem um atraso psicomotor por conta da prematuridade e, por isso, temos uma atenção especial com os estímulos sensoriais/de coordenação motora que damos a dele. Na verdade eu gostaria de fazer mais, mas admito que falta tempo e $.

Enfim, já me cobrei e me chateei muito por conta dessas “coisas a mais” que eu não faço ou não posso fazer por ele. Já vivenciei mais fortemente aquele velho clichê materno de sentir culpada, de achar que posso fazer mais e mais. Hoje estou na fase de aceitação de que mãe não é super heroína e tudo bem não dar contar de tudo. Ainda assim, de vez enquando o bichinho da cobrança faz eu me coçar. Bem, talvez isso seja positivo também…para não deixar eu me acomodar.

Enfim…sou dessas mãe que adoram ver a cria aprendendo coisas novas. O Pedro quando aprende alguma coisa nova é bombardeado com a minha repetição para ele fazer/falar de novo. Fazer o quê? É demais ver ele descobrindo o mundo. Ultimamente ando encantada com ele apontando as coisas e dizendo “Ó” com aquele tom de “Uauuuu, olha isso que legal!”.

Desde que começamos a fisioterapia sempre tentamos achar novas formas de estímulo, vivências sensoriais e motoras, além de atividades em que o Pedro se supere. Vira e mexe eu olho alguns sites que ensinam a criar situações, brincadeiras e brinquedos educativos. Mas, em prática mesmo eu coloquei poucas coisas. 1 – porque sempre faltava um material ou outro (tipo gliter!) e 2 – porque eu acabava demorando tanto que passava a vontade de montar o tal do brinquedo.

Mas, outro dia olhando uma página do Facebook sugerida por uma amiga terapeuta ocupacional (valeu Ge) achei umas ideias muito fáceis e interessantes. A maioria delas usava: tampinhas de garrafas, pote de sorvete, palitos de churrasco e só. OPA! Comecei a separar as tampinhas de todas as cores, pedi ajuda para minha mãe e também para a. Tia T. (fisio).

Adivinhem?

Tampinhas de refrigerante e caixa de Ferrero Rocher

Tampinhas de refrigerante e caixa de Ferrero Rocher

Ele ficou encantado com as tampinhas! Logo aprendeu a pegar, virar, girar, colocar e tirar de dentro dos potes e finalmente pudemos treinar as cores. Separando em grupinhos comecei a dizer o nome de cada cor e logo ele já sabia mostrar a cor quando pedíamos. As vezes ele ainda erra. Principalmente quando as cores começam com a mesma sílaba como VERmelho e VERde. Mas, na maioria das vezes ele acerta. A cor preferia é “axuul”.

Com as tampinhas também treinamos as funções de empilhar, enfileirar e rosquear. Já faz um tempo ele aprendeu a abrir garrafinhas. Pode parecer uma bobagem isso que estou contando. Mas, no caso do Pedro e de muitas crianças com atraso no desenvolvimento motor, essas pequenas conquistas são na verdade GRANDES aprendizados.

Aqui os puxadores permitem variar altura e lateralidade

Aqui os puxadores permitem variar altura e lateralidade

Outra atividade que elaborei com material reciclado foi a de encaixar. Usei o rolo de papelão (do papel toalha) e algumas pulseiras velhas minhas. Eu seguro o rolo e ele encaixa as pulseiras. Também uso os puxadores da gaveta da cômoda do quarto dele para diversificar altura, o tipo de encaixe e trabalhar a lateralidade.

Aprendi com essas experiências que, nem sempre, o brinquedo caro com luz e tecnologias mil é o que a criança mais gosta. Pedro tem alguns brinquedos caros da Chicco, Fisher Price, Bandeirantes. Mas, posso falar?! Ele brinca com eles poucos minutos por dia e depois prefere os carrinhos, a bola, a massinha e os livrinhos infantis. Ah, ultimamente ele também tem adorado abrir e fechar portas e gavetas. Além de tirar e guardar meus potes na cozinha.

É encantador perceber o quão rápido ele aprende as coisas. Mostro algumas vezes como faz e em poucos minutos ele está imitando, tentando até conseguir. Essas atividades também tem auxiliado o Pedro a manter a concentração. Como sempre foi muito agitado, ansioso, noto um pouco de dificuldade em manter o foco numa mesma função. Claro que tem a questão da idade…quando são muito pequenos as crianças não mantêm mesmo o foco por tempo prolongado. Mas, pelo sim pelo não…estamos trabalhando a atenção.

Bem, por hoje é só. Quis compartilhar com vocês essa parte da minha relação com o Pedro e também, quem sabe, dar ideias para vocês começarem a notar como objetos e materiais simples podem virar coisas legais . Vale tudo! Tem muita gente fazendo coisas muito bacanas e ganhando dinheiro com material reutilizado. Nem preciso comentar dos benefícios para o meio ambiente também, né?! Deem uma olhada nesses links: moda, decoração, brindes, brinquedos …

0

Feliz aniversário Pedro!

É dia de bolo, brigadeiro e guaraná!!

É dia de bolo, brigadeiro e guaraná!!

Pedro,

filho! Luz da minha vida! Hoje é o seu dia…dia que se repete todos os anos em forma de aniversário para lembrar a mim o presente que ganhei da vida. Você é riso, você é doçura, é parte de mim, é vida crescendo.

Na sua certidão de nascimento está escrito que eu te dei à luz, mas às vezes penso que foi você quem me trouxe LUZ!

Depois de você eu sou outra. Sou “mamãe”, seu colo. Às vezes o motivo da sua birra, outras seu consolo. Mas, uma coisa é fato: sou toda sua. Obrigada pela oportunidade de vivenciar a maternidade e estar ao seu lado nessa caminhada. Conte comigo que com muito orgulho aprendo a andar também.

Procuro palavras para desejar-lhes as melhores coisas da vida e declarar o amor que tenho por ti. Entretanto, por mais que me esforce, vejo meu empenho sendo ineficaz. Por isso, recorri aos grandes e colhi esse poema de Antero de Quental que diz um pouco do muito que eu gostaria te de dizer hoje.
Feliz 2 anos!
Te amo!
Com amor,

Mamãe.

…………………………………………………………………………………………………………………………………….

“Se há nesta vida um Deus para os acasos,
Que pela humanidade o bem reparte
Que te dê da fortuna a melhor parte
Que venturas te dê, sem lei nem prazos.

Eu, de alegrias tenho os olhos rasos
de lágrimas, ao vir brindar-te
Quando vejo que até para saudar-te,
As flores se debruçam sobre os vasos.

O meu brinde é sumário, curto e breve
Se o nome que se quer, quando se escreve
Move-se a pena com traços ideais.

Um anjo como tu, quando se brinda
Tem-se a missão cumprida e a festa finda
Quebra-se a taça e não se bebe mais”

“Soneto de Homenagem”, de Antero Quental

2

Fizemos aniversário!

cupcake

Em junho o ‘Querido Pedro’ fez um ano e eu esqueci de comentar por aqui. Que desalmada essa autora que vos escreve!!! rs

Em 07/06/13 eu comecei esse blog de maneira tímida e sem qualquer intenção de ser lida por tantas pessoas. O primeiro post que publiquei foi esse aqui sobre o preconceito e as mães solteiras. Curiosamente, esse é o segundo texto que mais recebe acessos durante a semana, sabiam? Isso me mostra que o assunto é de interesse de muitas mulheres e que, provavelmente, muitas ainda devam sofrer com esse estigma que minimiza a responsabilidade da parte masculina na gravidez + criação.

E vocês vão me perguntar: Mas, Bia, e qual é o post mais acessado? Depende. Se estivermos falando daquele que ainda hoje é acessado mais vezes durante a semana é o “Pressentimento, simpatia, sonho premonitório”. Mas, os que tiveram mais acessos durante esse primeiro ano foram “A rotina do hospital e as amigas que ganhei” e “A última batatinha do saco! Sobre conquistas e orgulho de mim mesma”.

Olhando os números do painel de controle do blog eu penso que o Pedro deve ser realmente muito querido. Pois, vejo como as pessoas gostam de saber sobre as conquistas dele, as novas palavrinhas, os aprendizados. Além disso, me espanta e alegra perceber que vocês continuam lendo o blog mesmo ele sendo tão pessoal com escritos basicamente sobre a infância do meu filho e dos meus desafios perante a maternidade.

De vez enquando recebo e-mail de pessoas que nem nos conhecem, mas se identificam com o histórico de prematuridade ou com o tema daquele post e deixam sua opinião. É muito gratificante essa troca e o feedback de leitura. Para mim o ‘Querido Pedro’ deixou de ser apenas um diário e um espaço onde eu desabafo sobre o lado B da maternidade.

Gosto de vir aqui entreter, divertir, refletir, emocionar (por que não?) vocês. Nesse meio tempo já fomos matéria no Terra e compartilhados dezenas de vezes em páginas do Facebook. Por isso, quero dizer: Obrigada!

Top 10 desse 1º ano!

1 – O mundo não está tão moderninho: mãe solteira ainda sofre preconceito

2 – Ser mãe é…

3 – Irmão…uma das coisas boas da vida

4 – Obrigada Tia T.

5 – Sobre tabefe gratuito e perigos que a gente nem imagina

6 – Colo, dar ou não dar. Eis a questão

7 –  A dois dias de completar um ano: o relato de parto

8 – Afinal, hoje é sexta! Yeah!

9 – Mãe da minha mãe. Minha avó. Bisavó do Pedro

10 – O primeiro ano de vida

 Extras: 770 gramasA primeira vez que te vi; A mamãe e o Queen

 

0

Tem dia que de noite…

cachorro

22h / 22h30

Ufa! Dormiu. Olha que lindinho. Como ele é fofo. Orgulho de ser mãe de um menino lindo desse.

23h / 0h

(suspiro lonnnnngo) Nossa nem acredito que deitei. Huummm……ZzZzZzZzZzZ

01h

“Buááááááááááá”

Mãe zumbi levanta e vai ver o que é. Deita o filho de novo. Cobre. Explica que está de noite que é hora de dormir.

ZzZzZzZzZzZzZzZzZ

03h40

“Buááááááá…mã mã”. Dedinho apontando para mim.

“Oh, God. Por que? Por que???????? HUNF!”

Mãe zumbi levanta e vai ver o que é. Deita o filho de novo. Cobre. Explica que está de noite que é hora de dormir.

5h20

“Buááááááá…”.

P#%$&*!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! M%¨$#@!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! V!@#$%&!!!!!!!!!, eu penso.

Mãe zumbi levanta e vai ver o que é. Deita o filho de novo. Cobre. Explica que está de noite que é hora de dormir.

6h30

Resmungos impacientes me acordam. Vejo um dedinho indicador apontando a mamadeira.

“Aaaiiiii”, eu sofro em pensamento.

Me levanto, vou até a cozinha, faço o ‘tete’, volto para o quarto. Deito o filho. Cubro. Volto pra cama.

……………….. ………………….. …………………….. …………………………. …………………………….. O.o

“Droga! Ainda tinha meia hora”. Me levanto porque já não consigo mais dormir.

Olho para o berço e avisto um menino embriagado de sono dormindo preguiçosamente

08h30

….palminhas….

“Uiiizzzz”, diz ele apontando para a lustre.

08h31

“Bom dia meu amor! Você dormiu bem? Hhummmmm. Vem cá deixa eu te cheirar.

(fungada no cangote da criança)

Abraço forte. Pego no colo e nem lembro daquelas palavras P#%$&*!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! M%¨$#@!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! V!@#$%&!!!!!!!!!

Fazer o que?!

Ser mãe é…ter perda de memória recente (para sobreviver. E não enlouquecer! rs).

 

0

Uma alegria imensa: “Querido Pedro” no Portal Terra

Obrigada!

Obrigada!

Oi gente!

Hoje vim aqui para agradecer à Deus, aos amigos queridos que me leem, ao Pedro que é a principal inspiração para este blog existir! Estou super feliz pelo “Querido Pedro” ter virado matéria no canal Carinho do Portal Terra por meio das mãos do amigo de faculdade, Felipe Gierstajn.

A história do ‘Querido Pedro’ começou há um ano quando no auge da minha necessidade de lidar com o perrengue da prematuridade extrema do meu filho decidi escrever um blog para desabafar, internalizar problemas, colocar para fora as situações boas e ruins que estava vivendo. O empurrão decisivo foi dado por uma amiga querida que trabalhava comigo na época. Durante o almoço daquele dia eu tinha contado sobre os preconceitos que já tinha passado por ter sido mãe aos 25 anos, idade considerada inapropriada pela sociedade pelo jeito. Ela me disse: “Bia, por que você não faz um blog para contar essas experiências?”.

TCHAM! Aquela ideia que já era uma sementinha na minha cabeça ganhou terra e água e amor kkkkkkkkkkkkkkkkkk

E então, da minha história triste e difícil (até aquele momento) nasceu o blog que tanto me ajudou a passar por aquela fase. A velha história de fazer uma limonada, ou caipirinha, com os limões que a vida te dá! Hoje esse espaço é muito mais de textos alegres.

Infelizmente escrevo menos do que gostaria porque tenho trabalho, filho (olhe só…você nem sabia kkk), freelas, casa e marido para cuidar! Quando as coisas estão mais calmas consigo escrever mais….mas, tem épocas que “minha gente, não é mole não!”.

Enfim, se tem uma coisa gratificante para quem gosta de escrever é saber que tem um leitor do outro lado da tela refletindo sobre aquelas palavras que escolhemos, organizamos em frases e expressamos num discurso. Pode ser que o texto passe batido, gere discordância,  proporcione um momento agradável de leitura ou até de identificação. O que me instiga mesmo é causar uma reflexão, um pensamento, uma emoção.

Por isso, obrigada a todos que me leem! De fato, a vida tem sido muito mais de limonadas do que limões azedos!  😉

PS: Quem quiser dar uma espiada na matéria o link é esse aqui:

“Blog sobre bebê é ideia de mãe para criar recordação digital”